Os 12 de “O Globo” contra a força da UNE

OGlobo_os12_x

Ao deparar na internet – aqui na Argentina, onde estou estes dias – com a primeira página de O Globo de quarta-feira, 7, enfeitada pela foto a cores de uma dúzia de graciosos alunos de escolas particulares da Zona Sul do Rio, “apartidários” e “apolíticos”, a lançar “novíssimo movimento estudantil” pela reforma do ensino, não resisti à tentação de questionar outra vez esse jornalismo. (Leia AQUI a versão saída no Globo Online)

Os leitores, eu e a torcida do Flamengo temos visto muitas fraudes da mídia no passado recente. Sabemos que às vezes elas nascem assim. Por que uma dúzia de moças e rapazes bonitos e bem vestidos, do Leblon, Ipanema, Gávea e adjacências, tornam-se notícia dessa forma em O Globo – quase sempre amplificada depois por outros veículos audiovisuais do mesmo império Globo de mídia?

OGlobo_091007Pergunto, em primeiro lugar, se jornalisticamente aquela reuniãozinha de adolescentes bem nascidos merece tal espaço na mídia nacional (veja-os na foto do alto e observe ao lado, na reprodução da página, o destaque que ganharam). Que diabo, como filhos do privilégio representam muito menos do que, por exemplo, um grupo de adolescentes sofridos do Nordeste, tão afetados como eles pelo adiamento da prova do Enem – o pretexto invocado em O Globo.

A aristocracia da elite branca

A diferença entre alunos do Nordeste e os de escolas particulares da Zona do Sul do Rio começa nos sobrenomes. Se prevalecem lá os Silva, como a família do atual presidente, os reunidos em O Globo são De Lamare, Di Célio, Bevilacqua, Lontra, Bustamante, Bekken, Glatt e outros de igual linhagem – famílias talvez afinadas com a ideologia dos irmãos Marinho.

A foto posada (com grande angular) da primeira página, feita em condomínio da Gávea, permite a suposição de que o tal “novíssimo movimento estudantil” anunciado pela sigla Nove (de “Nova Organização Voluntária Estudantil”) pode ter nascido na própria redação de O Globo e tem entre suas causas até o repúdio à ação afirmativa. São todos brancos, se não de sangue azul.

AliKamelPara o jornalista Ali Kamel (foto ao lado), guardião zeloso da doutrina da fé empenhado em uniformizar o discurso ideológico nos veículos do império Globo, “não somos racistas” no Brasil. A partir dessa tese nossa elite rejeita em nome da igualdade racial quotas destinadas a favorecer o ingresso na universidade de não brancos – talvez para perpetuar os privilégios atuais até o final dos tempos.

Nas páginas internas da mesma edição impressa de O Globo, conforme tive o cuidado de conferir na versão digital que a reproduziu, a reportagem foi estrategicamente colocada ao lado da coluna de Merval Pereira – a que abraça com fidelidade canina as ordens da cúpula do império de mídia mais arrogante do país e ostensivamente dedicado desde 2005 à derrubada do presidente.

A tradição coerente do golpismo

Os 12 (ou Nove) de O Globo parecem representar exatamente a tradição desse jornal (e dos Marinho), que ao longo dos anos, em matéria de educação, foi sempre retrógrado e antidemocrático – em especial quando a UNE e as entidades estaduais filiadas a ela lutavam contra o golpismo militar e na subseqüente ditadura que torturou, matou, censurou a imprensa e perseguiu o movimento estudantil.

Não por acaso o império Globo floresceu à sombra da ditadura por aplaudir os generais. Orgulha-se hoje – ao lado do El Mercurio, pinochetista do Chile, e do ClarínClarin (veja-o à direita, clamando na manchete contra a lei em debate e que poderá criar punição para a irresponsabilidade e abusos da mídia),  submisso aos generais do banho de sangue na Argentina – de estar entre as maiores corporações de mídia do continente, todas premiadas pelos algozes da democracia e pelos interesses externos porque sempre ficaram contra as causas nacionais dos  respectivos países. Ditadores sanguinários como Videla e Pinochet (foto abaixo, à esquerda), foram heróis do Clarín e El Mercurio, como Castello, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo eram os de O Globo (saiba mais AQUI sobre semelhanças entre El Mercurio e O Globo; conheça detalhes AQUI; e veja e ouça entrevista AQUI do jornalista americano Peter Kornbluh, autor de The Pinochet File, sobre a intimidade de Agustín Edwards com a CIA e como o jornal chileno foi salvo da falência após implorar e receber dinheiro da espionagem americana, à qual serviu  na campanha de desestabilização que preparou o golpe pinochetista).

A matéria impressa original tinha atacado a UNE sem dar a esta a oportunidade de responder às sandices. Mas em texto posterior, publicado na quinta-feira, 8, e certamente motivado pela reação do presidente da União Nacional dos Estudantes, Augusto Chagas, o jornal condescendeu em incluir sua palavra, ainda que “os 12” (ou Nove) continuassem como herois, mesmo insignificantes aos olhos de qualquer pessoa com um mínimode bom senso (Leia o texto da versão online AQUI). Mas além de ter tido o cuidado de minimizá-lo e situá-lo ao pé de outra página, ainda aduziu ridículo minieditorial com o veredicto final, que acusa a UNE de “peleguização”.

Contra os interesses nacionais

Fica claro que “pelegos”, na visão dos irmãos Marinho, são os líderes da UNE, criada corajosamente na década de 1940 para defender os interesses do país contra o avanço do Eixo nazifascista – e que lutou nas ruas contra a ditadura militar de 1964 que tinha O Globo como seu porta-voz oficioso. De nada importa ao jornal a explicação de que os fóruns da entidade não são gatos pingados da elite; reúnem mais de 1.500 centros acadêmicos do país, nos quais atuam centenas ou milhares de estudantes.

Pinochet_VidelaComo Chagas, também o presidente da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES), Ismael Cardoso, tentou informar ao império Globo de mídia (jornalões, TVs, rádios, revistas & penduricalhos) que as entidades realmente representativas dos estudantes há muito debatem a questão do Enem e até fizeram críticas à pressa das autoridades na implantação da nova prova – pressa que pode ter contribuído para o vazamento.

A motivação dos 12 de O Globo é outra. Se não foram escolhidos por ninguém, representam quem – ou o que? Têm só de se submeter à ideologia golpista do jornal, na contramão da história e do aperfeiçoamento democrático. É o que basta para sairem na primeira página. Restará agora guiarem-se pelos editoriais. Por exemplo, aplaudindo a Colômbia submissa, sob ocupação militar dos EUA, e a Honduras do golpe, repudiada pelo mundo inteiro. (Este post foi atualizado a 12/10 com mais dois links sobre as relações de El Mercurio e a família Edwards com a CIA). 

Published in: on outubro 10, 2009 at 11:17 am  Comments (24)  

The URI to TrackBack this entry is: https://argemiroferreira.wordpress.com/2009/10/10/os-12-de-o-globo-contra-a-forca-da-une/trackback/

RSS feed for comments on this post.

24 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Caro Argemiro, também fiz minhas críticas sobre o assunto em tela nos espaços que arrumo em blogs alheios. Em um deles coloquei também minha mensagem sobre isso. Não com sua inteligência iluminada e seu jeito privilegiado de escrever. Você falou tudo que eu queria ouvir e gostaria de dizer ainda que sou seu fã de carteirinha. Parabéns pelo artigo.
    Embaixo coloco meu humilde e envergonhado artigo diante do seu:
    O jornal o globo pensa que nós somos otários, assim como parte de seus leitores alienados. Desta vez, em mais uma manchete fascista publicou em primeira página uma notícia sobre certo “novíssimo movimento estudantil”. Segundo o jornal, o grupo que protestou contra o adiamento do Enem rejeita filiação partidária, UNE e Ubes. O jornal dos “marinhos”, de triste memória, publicou uma foto dos 12 jovens estudantes para ilustrar a matéria. Não havia nenhum negro. Segundo o globo o “movimento” nasceu há seis dias em colégios particulares da Zona Sul do Rio. Tudo indica que o globo esteja atiçando os estudantes contra o MEC dando-lhes espaço e usando-os para criar uma nova crise. De que vai adiantar esse movimento? O país está sob controle, nosso governo sabe o que está fazendo. As providências estão sendo tomadas para reparar a estupidez daqueles imbecis que tentaram se dar bem. Não é como aqueles governos incompetentes do passado que o globo tanto endeusava. Dentre os estudantes riquinhos desse “movimento” havia alunos do Santo Inácio e Notre Dame os colégios mais caros do Rio de Janeiro. O globo fala também de “fraude” do Enem. Que fraude, cara pálida, se não chegou a acontecer? Ora, cinco gatos pingados se unem para arrancar grana de jornais acostumados a comprar notícias para fabricar crises e o MEC é o culpado? Por questões profissionais sou obrigado a ler esse jornal; depois que o manuseio lavo as minhas mãos várias vezes com bastante água e sabão. Talvez esteja com DOC (Distúrbio Obsessivo Compulsivo). Mas, deve ser de nojo mesmo.
    Obs: o globo em minúscula para mostrar sua pequenez.

  2. “Cansei Junior”

  3. Prezado, estes jovens vivem em condomínios fechados, vão para a escola de Van, a diversão é em shopping, shows pateurizados e passam o tempo trancados em casa logados em redes de relacionamento. Férias também em condomínio fechado ou viagens a Miami. Os pretos que eles vêm são ou o porteiro e ou a babá do vizinho e ou sua própria empregada e ou o motorista da Van, Pelé e Gilberto Gil.
    Se estudarem muito, como parece ser o caso, vão fazer um bom curso de jornalismo e quem sabe apresentarem um jornal da Globo, acho que é assim que nascem determinadas reportagens. Neste caso, tentar democratizar o acesso à universidade é quase um pesadelo.
    Horacio V. Duarte

  4. Mas, de que trata o novíssimo movimento estudantil? O senhor leu o artigo, ou é só veneno?

  5. Noves fora…

  6. Lindos os participantes do novissímo, são filhos de funcionários da “grobo”. Ou foram selecionados para o bb2010? É doloroso pensar que o jornal em questão julga que somos alienados. Pobres sim, burros nunca mais. Temos Lula, que facilitou nossa vida com pc ou laptop em várias prestações e acesso à internet – pago, eu sei, mas vai acabar. Excelente seu blog, sou assinante da Carta. Abrs!

  7. […] reproduzido em Praia de Xangri-Lá, AQUI […]

  8. Já faz algum tempo que não gasto um tostão sequer em publicações do Império Globo. A TV Globo, só sintonizo quando das transmissões de esportes, que aprecio. Dá muito nojo desses caras, a parcialidade que ali grassa só serve para quem ganha algum $$ com isso ou para quem está encilhado.

  9. Parabens!! Você escreve muito bem. Conheci seu blog no Nassif, que sabe quem indicar!! Vou estar sempre por aqui. Se Deus quizer.

  10. Prezado Argemiro, quero lhe escrever com mais calma brevemente, mas enquanto isso deixo meu registro aqui também, de respeito e admiração. Faz pouco que conheci teu blog e a cada texto me impressiono mais com a fluidez, concretude, fundametação e pertinência. Parabéns e volto a te escrever, otimista em receber tua resposta, em breve. Reproduzo esse texto no meu blog (AQUI)com os devidos créditos. Saludos!

  11. O que querem esses estudantes bem nascidos? Um mundo melhor, mas sem socializar as riquezas dos seus papais? “Queremos shoppings para todos”, “queremos mais pool partys”. Serão estas suas bandeiras? A mídia burguesa inicia seus filhinhos abastados na política liberal como se estes fossem o futuro do país, não os milhões de adolescente que têm que trabalhar para estudar, aqueles que vão terminar o ensino médio simplesmente porque senão nem emprego de segunda, terceira, quinta qualificação irão conseguir. Exaltam sua “apoliticidade” porque é exatamente isso que a burguesia quer: seres apolíticos e um Estado mínimo. Quem lê e acredita nesse jornalismo, o mesmo que distorce fatos para criminalizar o MST, está nitidamente vendendo o peixe (salmão) da burguesia, queira ou não, seja pobre ou não. Proporcionar meios de informação independentes parece-me ser o grande desafio posto à esquerda, porque, definitivamente, não é a escola que vai educar crítica e revolucionariamente nossos jovens (excluídos, bem entendido).

  12. Taí o resultado de tantos anos de desmonte da educação e da descaracterização dela como formação de cidadãos em favor de torná-la criadora de mão-de-obra técnica. Há que se considerar que existe ao menos uma certa congruência de pensamento desses jovens com a classe à qual pertencem. Quiçá tivessem estudado Filosofia e apreendido (ao invés de decorado para os vestibulares) a História, poderiam superar a sua herança.
    A leitura das mensagens que trocam no seu grupo do Orkut é bastante elucidativa. Ajuda a entender como eles têm uma compreensão meio que velada da classe à qual pertencem. Uma pena que não entendam que não tomar partido já é, por si só, uma opção partidária. Do contra.

  13. Agora vou me ater ao milagre ao invés de comentar sobre o(s) santo(s).
    Bateu-me um incômodo déjà vu quando tomei ciência deste fato. Lembrei de anos atrás quando a Força Sindical foi criada. Alguém mais sentiu esse arrepio na espinha?

  14. É incrível essa mania de depreciar qualquer grupo como “de elite”, “bem nascidos” ou mesmo “ricos babacas”, como disse Lula. Vocês são cegos ou nunca repararam que os estudantes da UNE também são de elite, brancos, bem nascidos e ricos babacas. O que uma coisa tem a ver com a outra? O movimento estudantil contra a ditadura (do qual eu, junto com outros milhares, fiz parte) também era feito de jovens classe média, bem nascidos, brancos e de elite. O PT (mesmo o de outrora) e outros grupos militantes e progressistas também eram e são de elite, brancos, etc e tal.
    Se acham que o grupo do Globo é reacionário, bobo, fora de foco ou qualquer outra coisa. Acusem com as acusações certas e não com essa babaquice de elite. Ou quem escreve nesse blog, tem internet e tempo para isso não é de elite?

    • Meu caro Wagner, minha preocupação tem sido a de deixar o espaço dos comentários para outros – que trazem contribuições novas, mesmo quando discordam das opiniões ou reflexões oferecidas. Faço uma exceção no seu caso. Minha dúvida é se não leu o texto ou se foi apressado demais na leitura. Em nenhuma parte dele está dito que alguém, por ser rico, “de elite”, “bem nascido”, perde o direito à opinião ou à participação política. Ao contrário, acho que tem o direito e até o dever de manifestar opiniões e participar. E, como você mesmo reconhece, os estudantes ricos participam e se manifestam, pois muitos deles foram parte da luta contra a ditadura e em geral se elegem dirigentes de entidades estudantis. Minha crítica é à forma escolhida pelos “12 de O Globo“: ao invés de mobilizar os colegas e com eles discutir as questões e expressar as opiniões (até mesmo tentando mudar a diretoria das organizações estudantis, se era essa a intenção), declararam-se “apolíticos” e “apartidários” e procuraram a mídia golpista, que odeia a UNE e demais entidades (jornais como O Globo sempre as combateram, a pretexto de que estudante tem apenas que estudar e não se meter em política). A crítica, portanto, é à idéia de que, através de um jornalão qualquer, acostumado a negar legitimidade à participação política de todos, ricos e pobres, 12 pessoas sem qualquer representatividade, não eleitas por ninguém, podem apresentar-se como “um novo movimento estudantil”. Isso é puro golpismo, respaldado na primeira página de O Globo. Foi nesse sentido que observei serem 12 estudantes pobres do nordeste muito mais representativos do que 12 riquinhos da zona sul do Rio que se apresentam com o apoio do guardião da doutrina da fé do império Globo – ou outro Ali Kamel qualquer.

  15. Prezado Argemiro, deixei um prêmio, o selo instigante, para vc lá no meu blog, em reconhecimento ao excelente trabalho realizado por vc aqui no blog! É só passar lá e pegar, ok? http://sabrinanoureddine.blogspot.com Abs.

  16. Obrigado pela resposta e parabéns pelo blog. Talvez tenha lido apressado, e também como li os comentários, tenha me referido erradamente ao seu texto que, realmente, não critica diretamente os “bem nascidos”. Mas reitero o meu comentário, se não em relação a você, a muitas pessoas que adotam uma linha crítica a tudo referente a classe média, em favor dos “pobres”, estes considerados o que há de melhor na sociedade. Este pensamento (difundido por aí na blogosfera) além de tosco e equivocado é hipócrita, pois a maioria dos que pensam assim pertencem a mesma classe e grupo que criticam.
    Também me incomoda essa mania de desqualificar qualquer pessoa que ousa criticar o governo, tachando essa pessoa de golpista, tucano, direitista, etc, como se Lula e seu governo fossem deuses e não fizessem nada que merecesse crítica. E, de fato, é de se perguntar, cadê a UNE nesse episódio do ENEN? Por que está caladinha ? Querer isentar o MEC ou o governo de qualquer responsabilidade pelo episódio é agir da mesma forma irracional que aqueles que acham que tudo é culpa do governo.

    • Caro Comentarista,
      No que tange às críticas ao Governo Lula, obviamente que toda crítica deve ser aceita, todavia para criticar um determinado governo, tenho que compará-lo a outro governo. Nesse ínterim as críticas ao Governo Lula são feitas de maneira recorrente pelo PIG, no sentido tomar partido por um determinado político, vide o exemplo dos “Colonistas” Merval Pereira, Lúcia Hippolito ou Miriam Leitão, que sistematicamente criticam tudo e todos do Governo Lula e se calam contra tudo e todos dos governos do PSDB / DEM.
      Como disse na inicial, criticar faz parte do Estado Democrático de Direito, o que não devemos aceitar são dois pesos e duas medidas para uma mesma situação, portanto antes de criticar o Governo do PT, devemos fazer uma análise crítica dos governos que antecederam a gestão do Presidente Lula.
      Cordialmente,

  17. O PPS quis ser o herdeiro do antigo “partidão”, o velho PCB que deu origem ao PCdoB e ao minúsculo PCB que se mantém ortodoxo. Mas, na prática, o PPS é somente o braço da direita do PSDB e a ala mais radical do PFL; ou seja, é um pedaço da UDN. O PPS apenas usa o passado do PCB para prestar serviço ao PFL e ao PSDB. Nessa festa, o PPS foi contratado para dar um pouco de tom vermelho no arraial da dupla “demo & tucano”. O PPS mudou até de gosto musical; deixou de entoar a Internacional para cantar “Freak Le Bum Bum” da sua maior estrela musical, a cantora Gretchen.
    O PPS é uma legenda de aluguel. O PPS não tem vida própria, é apenas cartorial. O PPS vive de alugar a legenda para políticos mais diversos. Já serviu para o “moto-serra” Blairo Maggi, governador do Mato Grosso. Serviu ao governador do Amazonas Eduardo Braga; serviu ao Ratinho Jr. no Paraná; serviu ao Romeu Tuma Jr e serve, em todos os estados, para abrigar políticos conservadores, que não encontram espaço no PFL nem no PSDB. É uma espécie de estacionamento de políticos tradicionais que usam a legenda e, depois, vão embora.
    O PPS virou o “lixão” da política brasileira. O PPS polui o meio ambiente político. O PPS combateu a candidatura da Heloísa Helena porque era “esquerdista” e apoiou o candidato da Opus Dei, o renovador carismático Geraldo Alkmin. Agora o PPS é contra a candidatura de Marina Silva e ela só será elogiada se servir à candidatura Serra. O PPS está com o Serra e Kassab, que deu emprego no Conselho Administrativo do metrô de São Paulo ao ex-deputado Roberto Freire. O PPS trocou o “ouro de Moscou” pelos “reais do metrô”. No Rio Grande, o PPS é o defensor desvairado do governo corrupto da Yeda Crusius. Onde existe governo demo ou tucano o PPS está lá – pendurado, controlado. O PPS é o “nanico” preferido da direita. O PSDB e o PFL agradecem tanta dedicação. O PPS não quer nada com a esquerda.
    O PPS é de direita e o Freire é um Carlos Lacerda sem óculos e sem brilhantina. É o tipo conhecido do ex-comunista arrependido e prestativo. Lacerda era o “corvo”, Freire é o papagaio dos tucanos. O PPS é o “louro José” do PSDB.
    O PPS trocou o “socialismo real” pelo “neoliberalismo total”. Trocou as bandeiras da reforma agrária pelos ataques aos movimentos camponeses, principalmente ao MST; não quer saber de movimento sindical, nem de greve, nem de nenhum movimento social; e combate a UNE pela direita. É pela privatização de tudo. Desde o Banco do Brasil até a Petrobrás. Se puder, privatiza até a TV Cultura e a sede da FUNAI. O PPS é contra as quotas, Bolsa Família, previdência estatal, reuni, reforma agrária e tudo que for reforma. O PPS está contra Chavez e Evo Morales. Como FHC, o PPS prefere Bush a Obama. O PPS está à direita do Lampreia e da Leitão. Combate tudo da esquerda – e tanto que constrange até o DEM. O PPS é apenas uma sigla eleitoral de direita, sublegenda domesticada, um apêndice do PFL e do PSDB.
    Freire é tão neoliberal que privatizou o PPS, entregue ao DEM e ao PSDB. O PPS é de direita. Trocou Leandro Konder por Olavo de Carvalho; trocou Carlos Nelson Coutinho por Diogo Mainardi; trocou Milton Temer por Reinaldo Azevedo. Os três elogiam e são elogiados pelo PPS. O jornal do PPS é O Globo e a revista é a Veja. O PPS combate hoje o governo do PT não para avançar na direção de um governo de esquerda, mas para trazer o PFL e os tucanos de volta. O PPS combate o PSOL e o PSTU, porque são esquerdistas. O PPS só entende de trânsito: anda pela direita, com o PFL e com o tucano. Afinal, o PPS irá se fundir com o PFL ou com o PSDB?
    O PPS morreu. O PPS é um defuntão!! – Paulo Todero

  18. Argemiro,
    Com as vênias de estilo, destaco o assunto a seguir sobre o Mensalão do DEM / PSDB.
    Enquanto Brasília está pegando fogo com as pessoas indo às ruas para protestar contra os atos de corrupção do DEM, o PIG não dá ênfase para o caso “Panetonagate”
    Leia o elo não tão perdido entre o Arruda e o DEM.
    O sítio Congresso em Foco denuncia as relações promíscuas entre o Arruda e alguns caciques do DEM, essa relação é movida por bons vinhos e viagens caras.
    Detalhe: o Deputado ACM Neto não desmentiu a revista, disse que suas despesas foram pagas por ele próprio (ACM).
    “O governador disse que pretende dedicar-se agora a cumprir o que lhe resta de mandato. Mas talvez não haja chantagem suficiente para segurá-lo no posto. Ele enfrentará um processo de impeachment na Câmara de Brasília – e os imprevisíveis desdobramentos das in-vestigações, que poderão esbarrar na conexão nacional que Arruda tanto alardeia nos bastidores. O elo nem tão perdido entre o DEM e Arruda atende pelo nome de Paulo Roxo, lobista apontado como “achacador” de fornecedores do governo do DF. No Carnaval deste ano, Roxo levou os deputados Rodrigo Maia e ACM Neto para passear na Itália. Tomaram bons vinhos e visitaram a pista da Ferrari, em Maranello. Antes de o escândalo vir a público, Roxo, Arruda e Maia planejavam divertir-se com a família na Disney, em janeiro”.
    Leiam também: http://congressoemfoco.ig.com.br/noticia.asp?cod_canal=1&cod_publicacao=31116

  19. Com a devida licença quero fazer menção a outra notícia, que no meu sentir é importantíssima para quem ainda preserva a ética e os bons costumes.

    Essa notícia é fantástica para quem tem uma vírgula de ética e de bons costumes, e péssima para quem imaginava que o Delegado Protógenes estava liquidado.

    Do sítio dos “Amigos do Presidente Lula”

    “O ministro do Esporte Orlando Silva (PCBdoB), requisitou o delegado Protógenes Queiroz (PCdoB/SP) para integrar o governo federal, em seu ministério.

    A função é para atuar como uma espécie de assessor de segurança para grandes eventos esportivos, principalmente a Copa de 2014, no Brasil.

    Protógenes já é membro do comitê de segurança da FIFA, a Federação Internacional de Futebol, e foi indicado ao cargo pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF)”.

    Ou seja, Protógenes comandará as ações de inteligência que envolverão os grandes eventos esportivos do Brasil, a começar pela Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos.
    Para quem estava pensando em se dar bem por meio do furto na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos, agora é melhor pensar mil vezes.

  20. Começaram a plantar a ideia de que surgem movimentos pela Tradição, pela Família e pela Propriedade, lembram dela? Serão os 12 da TFP? Não será estranho se pipocarem “marchas”, aliás, já vem acontecendo no RJ e em outras capitais brasileiras. Serão os arautos de “olhos azuis”, não necessariamente raciais (mas vale observar este ponto), necessariamente sim de classe, que erguerão a voz e demonstrarão o “tal estado de coisas”.

  21. oi vc esta todo dem

  22. Uma clássica campanha do que chamamos em inglês de «astroturf», definido como uma manifestação supostamente espontânea da sociedade civil mas na verdade orquestrada por interesses e agências de propaganda, sem divulgação do patrocínio.
    É um exemplar meio tosco, aliás. A identidade virtual do grupo, as bona fides dele, consistem em um blog de WordPress, uma conta de Twitter, e uma comunidade de Orkut, nenhum com atividade expressiva. Um indivíduo podia criar toda essa presença virtual durante o Jornal Nacional. Não tem como confirmar nada que fica dita sobre os autores.
    Eu, hein?
    Já vimos tanto exemplos dessas táticas na última década nos EUA, devidamente desmascaradas, que não funcionam mais. Quem consegue ler um formulário 990 da Infernal Receita Safada (IRS, nosso Leão) — imagine, ONGs desse tipo tem que divulgar as finanças! — pode facilmente desvendar a esquema.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: